Publicidade
Anderson Leonardo - Reprodução/Divulgação
Anderson Leonardo – Reprodução/Divulgação

Anderson Leonardo, vocalista do Molejo, faleceu há quase dois meses. De acordo com a jornalista Fábia Oliveira, do Metrópoles, os herdeiros do cantor e integrantes do grupo começaram a se desentender.

Publicidade

Segundo as informações, os membros da banda notificaram a empresa Molejo Produções e eventos Eireli. No documento, eles afirmaram que não têm mais interesse em serem administrados pela empresa que era de Anderson, e que, agora, pertence aos herdeiros dele.

Na notificação, os artistas informam que seguirão cumprindo o contrato até o envio do documento e após a data, a empresa não mais os representaria, e todos os compromissos agendados não seriam geridos por ela.

Grupo não pode mais usar o nome ‘Molejo’

Do outro lado, os herdeiros do músico enviaram uma contra notificação aos integrantes do grupo [Andrezinho, Claumirzinho, Lúcio Nascimento, Robson Calazans e Jimmy Batera], para rebater o pedido.

No texto, eles revelaram que os membros da banda não podem usar o nome Molejo, pois, a marca foi registrada no Instituto Nacional da Propriedade Industrial (INPI) pela empresa do vocalista, e, por isso, quem tem direitos sobre ela, é a Eireli.

Publicidade

Mesmo com a contra notificação, o grupo Molejo continua a se apresentar pelo Brasil com o nome que era propriedade de Anderson. O ato, segundo a empresa, é ilegal e gera danos para família do cantor, que, alega estar sofrendo com dificuldades financeiras.

Por fim, os herdeiros do vocalista ainda fizeram um comunicado no qual informam que os músicos têm 24 horas para parar de usar o nome Molejo nos shows.

Isso porque, as apresentações não foram fechadas pela representante legal, e por isso, o nome do grupo não pode ser usado. Caso eles continuem usando-o, os filhos de Anderson irão acionar a justiça.

Publicidade