Publicidade

‘BBB 24’: Na reta final, participante é eliminada com grande rejeição

Alane, Bia e Pitel estavam na berlinda do BBB 24

Alane, Bia, Pitel (Reprodução/Globo)
Alane, Bia, Pitel (Reprodução/Globo)

A 16ª eliminação do BBB 24 (Globo) aconteceu na noite desta terça-feira, 02. Na berlinda, estavam Alane, Beatriz e Pitel. A eliminada da noite foi Pitel.

Publicidade

Ela teve 82% da média dos votos para sair. Em segundo lugar ficou Alane, com 12,38% dos votos. A menos votada foi Beatriz, com 5,62%.

O que Tadeu Schmidt disse em seu discurso de eliminação

“Temos aqui três representantes de grandes amizades entre mulheres. Entre mulheres que se destacaram no BBB 24. Não é toda hora que a gente vê duas amigas tão amigas e que vão tantas vezes juntas ao Paredão. A Alane e Bia já ficaram de mãozinhas dadas assim, sofrendo por si própria e pela maior aliada três vezes. Imaginem a dor que é perder a maior amiga. Podem perguntar pra Pitel. Tem apenas 48 horas que ela perdeu a Nanda. Como você mesma disse, Pitel, como se tivesse perdido um pedaço do próprio corpo, né? É até difícil te ver sozinha nessa casa. Naquele distante 8 de janeiro, quando vocês entraram nessa casa, em menos de duas horas, Pitel e Fernanda já estavam tricotando, dando risada, já tinham virado parceiras. E se manteriam desse jeito até o fim. A ponto de rolar ciúmes quando o Pitel fez outras grandes amizades. A Alane e Bia demoraram um pouquinho mais pra se tornarem irmãs. Mas quando isso aconteceu, não tem um dia sequer que uma não seja conselheira, motivadora, admiradora uma da outra. Todo dia estão juntas, conversando, ensaiando, planejando da maquiagem que vão passar, a roupa que vão usar, a estratégia que vão seguir, até o papo imaginário que vão ter comigo. Mas quem sai hoje não é a dupla. No caso da Pitel isso nem seria possível, claro. Quem sai é o indivíduo. Se a forma como você viveu essa parceria fez diferença na sua trajetória ou não, é outra história. Mas quem sai hoje é o indivíduo. Pra deixar mais um coração partido aí dentro ou pra finalizar de vez a história de uma turma. Vou começar a falar da Pitel. Essa menina botou a toca de cetim e hablou. Conseguiu ser ácida e, ao mesmo tempo, encantadora. Crítica e divertidíssima. Acima de tudo, inteligente, perspicaz. Dona de uma lucidez, um equilíbrio, uma sabedoria que contrastam com seus 24 anos. Nesses 86 dias aí dentro, a Pitel parecia que estava vendo tudo aqui de fora. Como se pudesse até rever as imagens para opinar com calma. Fez leituras precisas. Acertou muito, não tudo, não tudo. Aí também seria pedir demais. Mas acertou muito acima da média. O maior erro que cometeu foi quando pensou em si própria. Não podia pensar assim, não tinha motivo. Certa vez ela disse: ‘Todo dia eu acordo duvidando de uma coisa diferente de mim que nem eu sabia que existia’. Já repararam que é muito difícil ouvir ela falar de si própria? Esse jogo te emprestou uma fragilidade que nem combina contigo. No entanto, olha que coisa, o mesmo BBB que abala as estruturas, também te deu um bucket. Aquela lembrança que faz levantar o astral e que bucket… um carro. Mas posso falar a verdade, Pitel? Aqui fora, o seu bucket pode ser o próprio BBB. No futuro, quando você tiver tristinha, quando todo mundo fica, você vai poder resgatar na memória uma caminhada linda no Big Brother Brasil, que deixa uma imagem vitoriosa embalada nesse sotaque delicioso, nesse jeitinho de falar que é tão Pitel. Como dizem os versos da minha música preferida, eu sei que a vida devia ser bem melhor, e será. É bonita, é bonita e é bonita. Vem pra cá, Pitel”.