Fale conosco

O que vc está procurando?

Márcia Piovesan

TV

Carlos Alberto de Nóbrega não deseja que o filho assuma A Praça é Nossa

Apresentador revela que teve depressão durante a quarentena e falou sobre o futuro do seu programa no SBT

Carlos Alberto de Nóbrega
Carlos Alberto de Nóbrega - Crédito: Reprodução / Globo

O humorista Carlos Alberto de Nóbrega participou do programa Conversa com Bial, da Globo, e falou sobre o futuro do programa A Praça É Nossa, do SBT. Ele foi questionado sobre como vê o humorístico daqui 30 anos e confessou que não espera que a atração esteja no ar.

“Não imagino a Praça nem daqui a cinco anos. Acho que a Praça acaba comigo. Seria desejar um mal enorme para o Marcelo [de Nóbrega, seu filho] passar tudo aquilo que eu passei. E o sonho do Marcelo seria sentar ali no banco. Mas eu acho que é muito peso. E eu gosto demais dele para querer isso para ele. Porque o lugar é dele. Só que a comparação… Ele não tem a estrutura que eu tive. Eu comecei a trabalhar com meu pai aos 9 anos de idade. Nós tínhamos uma afinidade muito grande”, afirmou.

Mudando de assunto, Carlos de Alberto revelou como tem lidado com a quarentena longe dos estúdios do SBT. Ele disse que chegou a ter depressão.

“Quando a coisa estourou, meu primeiro passo foi ir para o sítio. Fiquei até finalzinho de abril numa boa. Porque tinha sol, era verão, tinha piscina, meus bichinhos. De repente comecei a ficar com saudades. Porque íamos parar por 40 dias. Eu tinha programas prontos só até o final de março. Eu digo: bom, em maio volto a gravar. Aí caiu a ficha. A ordem do Silvio é só voltar quando houver a vacina, quando não tiver mais perigo nenhum”, declarou.

“Mas aí, Bial, comecei a ficar com depressão. Fiquei deprimido, coisa que não sou. Sou um cara alegre, pra frente. Comecei a chorar, ficar mal. Já não queria ficar no sítio. Vim para São Paulo e fiquei em casa. Fiquei uma semana e foi pior, porque estou a 15 minutos da televisão. Aí tive que preparar as reprises e tive que ir pra TV. Quando cheguei naquela televisão e vi aquilo vazio, eu estava no meu carro e comecei a chorar. Mas eu chorei muito, muito, muito. Aí eu fiquei mal”, finalizou.