Fale conosco

O que você está procurando?

Márcia Piovesan

Éramos Seis

Avanço de uma década na vida de Lola e Júlio

A partir de hoje, a novela dá um salto de 10 anos e mostra novos rumos dos personagens

Lola (Gloria Pires) e Júlio (Antonio Calloni)
Lola (Gloria Pires) e Júlio (Antonio Calloni) | Foto: Globo/Raquel Cunha

É depois do casamento de Olga (Maria Eduarda de Carvalho) e Zeca (Eduardo Sterblitch) que acontece uma passagem de tempo de 10 anos em Éramos Seis. Assim, a partir do capítulo que vai ao ar hoje, dia 4, o telespectador já vai ter uma nova visão da história. 

A preparação para o salto no tempo acontece logo depois da festa de casamento de Olga e Zeca. E uma união que foi às pressas depois que ela descobre que está grávida. A família Lemos vai a Itapetininga. Lola (Gloria Pires) chega com Carlos (Xande Valois), Alfredo (Pedro Sol), Julinho (Davi de Oliveira) e Isabel (Maju Lima). Em seguida, Júlio (Antonio Calloni) pega o trem sozinho e vai ao encontro da família. 

Almeida (Ricardo Pereira) também vai à cidade para conversar com Clotilde (Simone Spoladore). Diz a ela que é a última vez que tenta reconquistá-la e pede que se encontrem na estação, para que possam ir embora juntos viver esse amor. Mas Clotilde não consegue passar por cima do julgamento social pelo fato de Almeida ser casado. Pensa que seus filhos não poderão ter o nome do pai, nem será permitido a eles frequentar a igreja, pensa no que as pessoas vão falar. Almeida, desolado, segue sozinho de volta para São Paulo.

Olga e Zeca se casam. Júlio, após não conseguir o dinheiro para a sociedade com Assad (Werner Schünemann), fica ressentido com Lola, que se culpa por não ter concordado em vender a casa. De volta à Avenida Angélica, Afonso (Cássio Gabus Mendes) se isola em sua casa após a partida de Inês (Gabriella Saraivah) e Shirley (Barbara Reis) com João Aranha (Caco Ciocler). E Genu (Kelxy Ecard) e Virgulino (Kiko Mascarenhas) vivem um momento de paz no relacionamento após ele ter sido preso e ter inventado para ela que tinha uma amante, para que ela não se preocupasse com seus encontros políticos. 

Após isso tudo, acontece a passagem de tempo de 10 anos e todas as crianças da Avenida Angélica viram jovens da agitada década de 1930. Carlos (Danilo Mesquita) é estudante de medicina; Julinho (André Luiz Frambach) acaba de terminar a escola e está em busca de um espaço na faculdade de Engenharia; Isabel (Giullia Buscacio) estuda para ser professora. Alfredo (Nicolas Prattes) é o único que continua sem rumo na vida. 

Lúcio (Jhona Burjack) é estudante de direito e Lili (Triz Pariz) estuda com Isabel na mesma escola em que Soraia (Rayssa Bratillieri), filha de Assad, estuda. Inês (Carol Macedo) não deu mais notícias desde que partiu com a mãe. Afonso já perdeu as esperanças, mas Carlos parece que a ama ainda mais. Escreve cartas para a amada até os dias atuais.

Lola e Júlio continuam sofrendo para pagar as prestações da casa, que agora são mensais. A doença de Júlio se agrava e ele se torna gerente de uma das lojas de Assad. Genu continua com ciúmes de Virgulino; e Afonso continua recluso desde a partida da filha. 

Almeida, por sua vez, refez sua vida. Juntou-se com Natália (Marcela Jacobina) e está feliz. Assim como Assad, que ficou viúvo de Luci (Lavínia Pannunzio), mas já encontrou uma pessoa, Karine (Mayana Neiva), com quem vai se casar em breve. Já Clotilde é professora de catequese em Itapetininga e se arrepende das escolhas que fez no passado. 

Olga e Zeca têm três filhos e ela está grávida do quarto. Construíram uma casa ao lado da casa de Dona Maria (Denise Weimberg), que continua se mantendo com a venda de doces em compota. Zeca ainda desperta em Olga momentos de paixão, mas também momentos de fúria. É o que ela vai sentir quando descobrir que ele convidou tia Candoca para morar com eles sem avisá-la antes.

Tia Emília (Susana Vieira) continua só, cuidando de Justina (Julia Stockler), mas em breve terá consigo a companhia da filha mais nova, Adelaide (Joana de Verona).