Fale conosco

O que vc está procurando?

Márcia Piovesan

Famosos

Zilu Camargo abre o jogo sobre traição e depressão

Socialite relembra mudança para São Paulo para realizar o sonho do ex-marido, Zezé Di Camargo

Zilu Camargo
Zilu Camargo - Crédito: Reprodução / Instagram

A socialite Zilu Camargo fez declarações sinceras durante uma live em seu canal no YouTube sobre o passado. Ex-mulher de Zezé Di Camargo, ela relembrou como foi se dedicar ao sonho do ex-marido, deu a sua opinião sobre como superar uma traição e também disse que já precisou de ajuda contra a depressão.

Na conversa, Zilu contou que trabalhou como vendedora ambulante assim que ela e o ex-marido chegaram em São Paulo para que ele pudesse se dedicar à carreira na música.

“Eu fazia tudo com muita felicidade, acreditava mesmo que ia dar certo. Queria dar a oportunidade do meu marido vencer na vida. E o que eu podia fazer? Tinha que apoiá-lo e correr atrás, trabalhar. Ele é muito bom no que faz, eu acreditei nele. Teve um momento que pensou em desistir, mas sempre incentivei. O que ele sabe fazer é cantar para o povo”, disse.

Então, ela contou que a situação financeira mudou com o sucesso da música É o Amor. “Foi bem louco porque, de repente, tinha dinheiro para viajar, para ter uma casa e carro, além de colocar meus filhos em uma escola particular. E ele trabalhava o tempo todo, quando estourou. Tinha que aproveitar aquele momento porque não se sabia se iria continuar o sucesso por muito tempo”

Pouco depois, Zilu foi questionada sobre como superar uma traição. “É difícil superar uma traição. Quando você é muito correta, fiel e acredita muito em uma coisa, mas é traída… Você se vê em um túnel sem final. Mas eu superei bem… Hoje, depois de 6 anos, acho que sei muito bem lidar com isso. E, se acontecer de novo, joga a poeira para cima e bola para frente!”

Então, ela contou que já teve depressão. “Passei por vários processos depressivos, cheguei a ser internada várias vezes e recebi acompanhamento médico, de amigos e filhos. Mais pedras do que vivi? Recebi de todos os lados e continuo recebendo. A diferença é que não sabia o que fazer, mas hoje sei! Nossa, tive que aprender a construir uma barreira, que se chama Deus, para lidar com tudo isso”, disse ela. 

Não tenho mágoas, não tenho sentimento de vingança ou ódio no meu coração. Às vezes, tenho estados de melancolia. O que tenho é a minha convicção, a minha verdade e pessoas que faço, ou não, questão de fazer amizade ou ter perto. Cumprimento por educação, falaria normal, mas vou procurar o meu espaço depois”, disse ela.